Site em português Site in English
HOME APRESENTAÇÃO CADASTRO COMPRAR VENDER CONTATO AJUDA LEILÕES LISTA RURAL BANNERS

LiveZilla Live Help

Altamira - Pará

Veja mais detalhes de Altamira

Município de Altamira
[[Ficheiro:|270px|none|center|]]
""
Brasão de Altamira
Bandeira de Altamira
Brasão Bandeira
Hino
Aniversário 6 de novembro
Fundação 6 de novembro de 1911
Gentílico altamirense
Lema
Prefeito(a) Odileida Maria de Sousa Sampaio (PSDB)
(2005 – 2008)
Localização
Localização de Altamira
Localização de Altamira no Pará
Localização de Altamira em Brasil
Altamira
Localização de Altamira no Brasil
03° 12' 10" S 52° 12' 21" O03° 12' 10" S 52° 12' 21" O
Unidade federativa  Pará
Mesorregião Sudoeste Paraense IBGE/2008 [1]
Microrregião Altamira IBGE/2008 [1]
Região metropolitana
Municípios limítrofes Norte: Gurupá, Medicilândia, Porto de Moz e Rurópolis
Leste: Senador José Porfírio e São Félix do Xingu
Sul: Estado do Mato Grosso
Oeste :Itaituba e Rurópolis
Distância até a capital 1 000 km
Características geográficas
Área 159 695,938 km²
População 98 750 hab. est. IBGE/2009 [2]
Densidade 0,618 hab./km²
Altitude 109 m
Clima equatorial
Fuso horário UTC-3
Indicadores
IDH 0,737 médio PNUD/2000 [3]
PIB R$ 623.433 mil IBGE/2008 [4]
PIB per capita R$ 6.229,75 IBGE/2008 [4]

Altamira é muito mais que o maior município do mundo em extensão territorial.[5] Está localizado no estado brasileiro do Pará, ficando a uma altitude de 109 metros, latitude 03º12'12" sul e longitude 52º12'23" oeste. Sua população estimada em 2009 era de 98.750 habitantes[6].

A rodovia Transamazônica atravessa o município no sentido leste-oeste numa extensão de 60 Km, ligando Altamira a Belém (800 km), Marabá (500 km), Itaituba (500 km) e Santarém(500 km)[7]. Característica notória do município é sua hidrografia: Altamira está cravada às margens do rio Xingu, com sua série de afluentes e cachoeiras que se distribuem por toda a região.[8].

Índice

Geografia

Altamira possui uma área de 159 695,938 km², o que o torna o maior município do Brasil e do mundo em extensão territorial.

Se o município de Altamira fosse um país, seria o 91º país mais extenso do mundo, maior que Grécia e Nepal.

Se fosse um estado brasileiro, seria o 16º maior, um pouco menor que o Paraná e maior que o Acre e o Ceará.

No município de Altamira inicia-se a "volta grande do Xingu", trecho sinuoso e cheio de cachoeiras do Rio Xingu onde, no final do trecho, será construída a Hidrelétrica de Belo Monte. Essa hidrelétrica, com capacidade de 11.182 MW, será a terceira maior do mundo, após Três Gargantas, na China, e Itaipu, entre o Brasil e Paraguai),inundará cerca de 400 km², principalmente nos municípios de Vitória do Xingu e Altamira.

História

  • Fundação: 6 de novembro de 1911 (98 anos)

Apesar de se saber que mesmo antes de 1750 antigas Missões Jesuíticas já habitavam a região do Xingu, resultando no surgimento da Vila de Altamira, o primeiro registro formal de sua existência data de 14 de abril de 1874, que cria o município de Souzel, no qual se inseria a região que hoje compreende o município de Altamira. Pela grande extensão física e necessidades administrativas, em 6 de novembro de 1911 cria-se o município de Altamira .

Altamira consolidou-se como centro polarizador do sul do estado. Sua origem oficial esteve diretamente ligada: a) à colonização das Missões Jesuíticas, na primeira metade do século XVIII; b) à extração de borracha que perdurou até a metade do século XX; e c) ao processo de interiorização do Brasil com a abertura da fronteira amazônica, a partir da década de 1970. Sua história extra-oficial esteve ligada sempre à presença do indígena nesse território.

Desde o período da borracha a rede urbana da região do Xingu estrutura-se a partir de Altamira. A agricultura – principalmente arroz, cacau, feijão, milho e pimenta-do-reino –, a extração de borracha e castanha-do-pará e a pecuária são as principais atividades econômicas do município. A região, entretanto, defronta-se com problemas econômicos e sociais à medida que não houve os investimentos necessários em infraestrutura. O ecoturismo tem um grande potencial no município, mas é muito pouco explorado[9].

Em 1972 foi implantado nesse município o marco zero da Rodovia Transamazônica (BR-230) pelo presidente brasileiro Emílio Garrastazu Médici. Iniciava-se um período de intensa exploração da floresta amazônica, com assentamentos de colonos e abertura de vias terrestres, algumas já abandonadas e outras que geraram os município da região (Medicilândia, Anapu, Vitória do Xingu etc.).

Vista panorâmica da área urbana de Altamira com o rio Xingu ao fundo.

Conflitos

Os conflitos que historicamente marcam a ocupação da Amazônia estão reproduzidos em Altamira. Segundo Daniela Chiaretti, os conflitos envolvem "garimpeiros que não gostam de índios que brigam com agricultores que têm problemas com ribeirinhos que são invisíveis para quem vive na cidade. De vez em quando há uma troca de parceiros nessa dança, mas o resultado costuma ser confusão"[10].

Economia, infraestrutura e Condições Sócio-Econômicas

A agricultura (arroz, cacau, feijão, milho, pimenta-do-reino) e a extração de borracha e castanha-do-pará e a pecuária como principal são as principais atividades econômicas do município.

Entretanto, o município ainda não dispõe de acessos pavimentados, pois a única rodovia utilizada para chegar ao município é a Rodovia Transamazônica (BR-230), que teve seu processo de pavimentação interrompido na década passada, o que deixa o município por um longo período (chuvas) incomunicável por malha rodoviária, corroborando com o pouco desenvolvimento industrial. Até 1998 o município era alimentado por uma central termoelétrica desativada logo após a inauguração da LT 230 KV Tucuruí - Altamira, projeto Tramo-oeste desenvolvido pela Eletronorte.

Mensagem em muro à beira da Rodovia Transamazônica, que passa pela área urbana de Altamira.

A região sofre de um abandono estrutural crônico, um processo de atrofia econômica e consequentemente social, pois não foram feitos investimentos necessários para a região, uma vez que a infraestrutura é precária.

Demandas históricas para dirimir conflitos como o cipoal fundiário, conflito por terras, assistência básica a doenças como a dengue e violência são problemas permanentes[11].

Em 2010, a quantidade de desempregados é de 15 a 20 mil pessoas, em uma população com cerca de 20% de analfabetos e 1% tem nível superior[11][10].

De acordo com o Censo Demográfico de 2000, ao se observar as características da população residente em Altamira, nota-se, no que tange à renda, que de um total de 17.469 domicílios, a maioria (52,4%) possui rendimento de mais de 2 a 10 salários mínimos, sendo 18,6% do total de domicílios enquadrados na faixa de mais de 3 a 5 salários mínimos . Nota-se, ainda, que para o mesmo período, 4,5% da população recebiam até meio salário mínimo ou não possuíam rendimento .

Lixão do município de Altamira.

No que diz respeito à educação, Altamira possuía em 2000 90,9% da população de 10 a 14 anos alfabetizada; 93,8% da população de 15 a 19 anos e 79,8% da população de 20 anos ou mais. Tendo como referência a população acima de 10 anos, verifica-se que 83,8% era alfabetizada.

As condições habitacionais, por sua vez, são bastante adversas. Conforme o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), a infraestrutura externa aos domicílios de Altamira apresentam precariedade generalizada. Em 2007, da população urbana do município, somente 72,0% eram atendidos pela coleta de resíduos sólidos. Além disso, em 2008, apenas 11,2% da população era atendida com abastecimento de água, além de que esgotamento sanitário não havia em nenhum ponto do município, nem mesmo nas áreas centrais da área urbana.

Uma das propostas de investimento é a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, cujo impacto divide opiniões[11].

A enchente de abril de 2009

Enchente no município de Altamira, abril de 2009.

A maior cheia da história da cidade de Altamira foi provocada pelas sucessivas barragens construídas aleatoriamente ao longo do igarapé Altamira, ocupado por produtores rurais em função da rodovia Transamazônica. Ninguém parece ter pensado numa hipótese factível com a nova paisagem: o que aconteceria se uma das barragens se rompesse e o fluxo d’água seguisse pelas outras na direção da cidade? Uma tragédia, é claro. Foi o que aconteceu no domingo de páscoa, com danos como nunca houve antes, em função de chuvas muito mais intensas do que em outros invernos rigorosos. Foram 200 milímetros num único dia[12].

A prefeitura de Altamira decretou, em 14 de abril de 2009, estado de calamidade pública em razão das fortes chuvas que atingiram o Estado naquele período. Segundo a Defesa Civil estadual, as chuvas causaram o rompimento de vários açudes, provocando uma forte enxurrada. Cerca de 15 mil pessoas foram prejudicadas. A inundação ainda causou a queda de várias casas e pontes na cidade. O acesso a Altamira ficou comprometido. A chuva destruiu parte da Rodovia Transamazônica.

Demografia

Pirâmide Etária da População do município de Altamira, 1991. Piramide1991.JPG

Fonte: Censo Demográfico 1991.

Pirâmide Etária da População do município de Altamira, 2000. Altamira2000.JPG

Fonte: Censo Demográfico 2000.

Cultura

Tacacá.

O Tacacá é um prato típico amazônico, especialmente do Pará, Acre, Amazonas, Rondônia e Amapá. Trata-se de uma comida regional preparada com o tucupi (caldo da mandioca, previamente fervido com alho e chicória), camarões secos graúdos, goma (mingau feito com uma massa fina e branca, resultado da lavagem da mandioca ralada) e jambú (planta considerada afrodisíaca). O Tacacá é servido em cuias, acompanhado ou não com molho de pimenta-de-cheiro.

Em Altamira há o Festival do Tacacá, festa organizada por uma escola conveniada (mucipío e igreja católica) que atrai admiradores de vários lugares do Brasil.

Biodiversidade

Floresta Nacional de Altamira

Superfície:689.012 hectares.

Bioma: Amazônia 100%

Floresta Ombrófila Aberta 74%

Floresta Ombrófila Densa 23%

Flona Altamira.jpg

A Flona de Altamira é uma das portas de entrada para a Terra do Meio, situada entre os rios Xingu e Tapajós, no estado do Pará. Cercada por terras indígenas, a região possui uma das maiores áreas de floresta relativamente não perturbadas na Amazônia Oriental.

A região é de importância crítica para a vida selvagem, abrigando numerosas espécies animais ameaçadas, incluindo onças, jacarés-açu, macacos-aranha, cuxiú da cara branca e tamanduás.

As maiores concentrações remanescentes de mogno (Swietenia macrophylla) no Brasil estão localizadas na Terra do Meio e nas terras indígenas dos arredores.

A Floresta Nacional de Altamira é também importante para a proteção de comunidades indígenas situadas em suas proximidades, funcionando com zona-tampão para as terras indígenas Baú, Xipaia e Curuá[13].

Hidrografia

  • Rio Xingu
  • Rio Iriri
  • Rio Curuá
  • Rio Catete
  • Rio Chiché
  • Riozinho do Amfrísio
  • Rio Iriri Novo
  • Rio Ximxim
  • Riozinho Jucatã
  • Rio Carajaí
  • Rio Novo
  • Rio Ituna
  • Rio Ipiaçava


Quem nasce em Altamira é altamirense


Fonte: Wikipedia

Produtos no Pará





Alimentos em Geral Defensivos Agrícolas Implementos Mudas/Ramas Serviços
Alimentos para Nutrição Animal Diversos Instalações Rurais Peças/Aditivos/Acessórios Shopping MF Rural
Animais Embalagens Máquinas Pesadas Pneus Tratores Agrícolas
Caminhões Exportação/Importação Máquinas/Equipamentos Procuro/Compro/Troco Utensílios Agropecuários
Carrocerias/Furgões Fazendas/Imóveis Rurais Medicamentos Sementes Veículos
Colheitadeiras/Colhedoras Fertilizantes Agrícolas
Os anúncios que estão em nosso site são de vendedores cadastrados.br />
Efetue uma busca no site para verificar se existe algum produto ou serviço que deseja.

Para entrar em contato com eles basta clicar no anúncio e em seguida em "Fale com o Vendedor".

Caso tenha alguma dúvida sobre o funcionamento do site entre em contato conosco.

Continuar    Cancelar