Publicidade
Classificados
Facebook
Produtos relacionados Espiga de Milho Shopping MF Rural

INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL (Cód. 143282)

  • INCENTIVO FISCAL  PARA ABERTURA DE CENTRO DE  DISTRIBUIÇÃO - AL
Compartilhar
Compartilhe no Facebook INCENTIVO FISCAL  PARA ABERTURA DE CENTRO DE  DISTRIBUIÇÃO - AL Compartilhe no Twitter INCENTIVO FISCAL  PARA ABERTURA DE CENTRO DE  DISTRIBUIÇÃO - AL Compartilhe no Google INCENTIVO FISCAL  PARA ABERTURA DE CENTRO DE  DISTRIBUIÇÃO - AL
Nome:
Em Análise

Telefone(s):
Em Análise


Visitas: 2368

Anuncios do vendedor de INCENTIVO FISCAL  PARA ABERTURA DE CENTRO DE  DISTRIBUIÇÃO - AL
Descrição

E-mail: Em análise
Nome: Em análise
Telefone: Em análise
Site: Em análise

REDUÇÃO DE CARGA TRIBUTÁRIA



OFERECEMOS TODA ESTRUTURA PARA REALIZAR O PROCEDIMENTO DESCRITO A BAIXO:
AGENDE UMA VISITA EM SUA EMPRESA PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS
EDUARDO H S MARINHO

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO

I – DEFINIÇÃO DE CENTRAL DE DISTRIBUIÇÃO

Considerar-se central de distribuição toda a empresa que concentrar em distribuidor localizado no Estado de alagoas (art. 1º do Decreto 38.631/2000)

? Todas as aquisições da empresa para distribuição às filiais localizadas em outros Estados

? Toda a distribuição de mercadoria de produção própria, recebida em transferência de filial localizada neste Estado ou em outros Estados, desde que também destinada a atender outros Estados

? A distribuição de mercadorias com base em contrato de distribuição exclusiva, desde que a média mensal de saídas das mercadorias sujeitas ao contrato seja superior a 80% (oitenta por cento) do total de suas saídas, de acordo com a média dos últimos 6 meses, ou dos meses em funcionamento no caso de inicio de atividade (art. 4º inciso VI combinado com artigo 1º-A do Decreto nº. 38/631/2000).

II – CONDIÇÕES PARA ENQUADRAMENTO

? Enquadrar-se no conceito de Central de Distribuição com relação às suas operações

? Estar inscrito no Cadastro de contribuinte do Estado de Alagoas

? Regular com as obrigações tributárias: principal e acessórias

? Possuir no estabelecimento, ou em operador logístico, no mínimo 5 (cinco) empregados devidamente registrados no ministério do trabalho.

III – A SISTEMÁTICA DESTE DECRETO COMPREENDE

Substituição dos créditos normais do imposto relativo às entradas de mercadorias, bens ou recebimento de serviços pelo crédito fiscal presumido do ICMS (percentuais abaixo relacionados), incidente sobre o valor da BASE DE CÁLCULO do ICMS destacado nos documentos fiscais de saída e debitado no livro Registro de Saídas.

? 11% (onze por cento), nas saídas de mercadorias tributadas à alíquota de 12% (doze por cento)

? 14% (quatorze por cento), nas saídas de mercadorias tributadas à alíquota de 17% (dezessete por cento) ou 19% (dezenove por cento)

? 22% (vinte e dois por cento), nas saídas de mercadorias tributadas à alíquota de 25% (vinte e cinco por cento) ou 27% (vinte e sete por cento)

? Renúncia dos créditos normais do imposto relativo às entradas de mercadorias, bens ou recebimento de serviços

? Obrigatoriedade de estornar os créditos fiscais relativos às entradas de mercadorias, bens ou recebimento de serviços, inclusive o crédito acumulado, se houver.

IV – A SISTEMÁTICA DESTE DECRETO NÃO COMPREENDE

a) Que efetue vendas de mercadorias a consumidor final, salvo se usuários industriais, comerciais, prestadores de serviços ou institucionais. Objetiva-se descaracterizar como distribuidor aquele que efetuar venda a pessoa natural, que o qualifica também como varejista

b) Cuja média mensal de transferência interna para filiais seja superior a 10% (dez por cento) do total de suas saídas, ou seja, apenas 10% (dez por cento) do total de suas saídas poderá ser de transferência para filial em Alagoas

c) Cuja média mensal de saída interna seja superior a 20% (vinte por cento) do total de suas saídas, ou seja, apenas 20% (vinte por cento) de suas saídas deverão ser para Alagoas, obrigatoriamente 80% (oitenta por cento) serão para outros Estados

d) Cuja média mensal de vendas internas a uma única empresa varejista seja superior a 10% (dez por cento) do total de suas saídas, ou seja, do total do distribuidor, somente 10% (dez por cento) poderá ser para um mesmo varejista em Alagoas

e) Não pode haver utilização do benefício:

? Para fins de cálculo do imposto devido por substituição tributária, exceto com relação às operações próprias do contribuinte

? Cumulativamente com outros benefícios que impliquem redução de carga tributária.

Caso se observe que o contribuinte não atende essas condições acima, a fiscalização irá caracterizar uma situação que implica em perda do benefício.

Observação: Ocorrendo a perda do incentivo por alguma irregularidade, é vedada sua reabilitação a sistemática.

V – UTILIZAÇÃO DO BENEFÍCIO DO CRÉDITO PRESUMIDO NA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

? O contribuinte poderá utilizar o benefício nas operações próprias desde que suas operações de saídas interestaduais mensais sujeitas à substituição tributária ultrapassem 80% (oitenta por cento) do total das saídas com substituição tributária, lembrando que não considera o benefício do crédito presumido no cálculo da substituição tributária

? Caso o contribuinte se enquadre nos requisitos do item acima, poderá ser atribuída à condição de substituto tributário para o mesmo, no caso de revenda de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária, desde que solicite Regime Especial.

VI – REGIME ESPECIAL / VANTAGENS E COMO PROCEDER

? O Fornecedor emite a Nota Fiscal de Venda, com destaque do ICMS para o Centro de Distribuição

a) Os fornecedores se debitam normalmente do ICMS pela venda de mercadorias

b) O Centro de Distribuição (CD) que possui o Regime Especial não poderá usar o crédito do ICMS destacado na Nota Fiscal do fornecedor.

? O Centro de Distribuição emitirá Nota Fiscal de Transferência ou de Venda, destacando normalmente o ICMS na Nota Fiscal

a) a filial que irá receber a transferência de mercadoria ou a empresa compradora de mercadorias devem se creditar do ICMS destacado na Nota Fiscal.

? O Centro de Distribuição, quando for pagar o ICMS, deverá renunciar aos créditos oriundos das compras junto aos fornecedores e utilizar o Incentivo recebido à razão:

? Nas saídas de 12% - Crédito Presumido 11% = 1%

? Nas saídas de 17% ou 19% - Crédito Presumido 14% = 3% ou 5%

? Nas saídas de 25% ou 27% - Crédito Presumido 22% = 3% ou 5%

Obs: Conforme rege o Decreto 38.631/2000 da Sefaz/AL

VII – EXEMPLOS PRÁTICOS

? Exemplo 1: Venda de mercadorias sujeitas ao ICMS normal

Uma empresa distribuidora localizada em Maceió adquire mercadorias das filiais de São Paulo, no valor de R$ 15.000,00, já incluídos frete e seguro. Essas mercadorias estão sujeitas ao ICMS normal, e são vendidas para Pernambuco, por R$ 18.000,00.

ICMS Destacado na nota fiscal R$ 1.050,00 (deverá haver renúncia à utilização dos créditos normais do imposto, quando da utilização do crédito presumido)

ICMS na saída – R$ 2.160,00 (12% das saídas)

Crédito presumido – R$ 1.980,00 (11% do valor das saídas)

ICMS a recolher na apuração mensal – R$ 2.160,00 – 1.980,00 = R$ 180,00

? Exemplo 2: Transferência de mercadorias sujeitas ao ICMS normal

Uma empresa distribuidora localizada em Maceió adquire mercadorias da filial de São Paulo, no valor de R$ 15.000,00, já incluídos frete e seguro. Essas mercadorias estão sujeitas ao ICMS normal, e são transferidas para a filial de Pernambuco, pelo mesmo valor.

ICMS Destacado na nota fiscal R$ 1.050,00 (deverá haver renúncia dos créditos normais destacados na NF de aquisição)

ICMS na saída – R$ 1.800,00 (12% das saídas)

Crédito presumido – R$ 1.659,00 (11% do valor da saídas)

ICMS a recolher na apuração mensal – R$ 1.800,00 – 1.650,00 = R$ 150,00

? Exemplo 3: Venda e mercadorias sujeitas ao ICMS Substituição Tributária

Uma empresa distribuidora localizada em Maceió adquire mercadorias do Rio Grande do Sul, no valor de R$ 50.000,00, já incluídos frete e seguro. Essas mercadorias estão sujeitas ao ICMS substituição tributária com margem de agregação de 30%, sendo o imposto retido pela Central de Distribuição tendo em vista a mesma possuir Regime Especial como Substituto Tributário. O preço de venda para Sergipe ficou em R$ 65.000,00.

ICMS Destacado na nota fiscal de aquisição: R$ 3.500,00 (deverá haver renúncia dos créditos normais do ICMS destacado na NF)

ICMS normal devido pela saída: R$ 7.800,00 (12% das saídas)

Crédito presumido: R$ 7.150,00 (11% do valor das saídas)

ICMS a recolher na apuração mensal: R$ 7.800,00 – 7.150,00 = R$ 650,00

ICMS Substituição a ser destacado para o Estado de Sergipe:

1 – R$ 50.000,00 + 30% (agregação) = R$ 65.000,00 Base de cálculo da ST.

2 – R$ 65.000,00 x 17% = R$ 11.050,00 ICMS sujeito a alíquota interna.

3 – R$ 11.050,00 – R$ 7.800,00 (crédito da NF de 12%) = R$ 3.250,00 ICMS ST a ser destacado na NF de venda.

Lembretes:

? Não ocorre substituição tributária nas operações que destinem mercadorias a sujeito passivo por substituição da mesma mercadoria.

? O benefício do crédito presumido não se aplica no cálculo da ST para outro Estado. Neste caso, deverá haver o cálculo da ST normalmente. O benefício do crédito presumido será utilizado apenas na operação própria.

OBS. A mercadoria ao sair do fornecedor, não precisará dar entrada fisicamente no Centro de Distribuição em Alagoas, podendo ir direto ao seu destino final (filiais ou clientes para revenda).

FORNECEDOR

SP RJ RG

SUL

Outros

Estados

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO ALAGOAS

FILIAIS EM PE PB RN CE SE BA MG RJ SP RS

AGENDE UMA VISITA EM SUA EMPRESA PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS
EDUARDO H S MARINHO
marinhoeduardo@hotmail.com
82-96032121



Atualizado em 12/05/2014
 


Fale com vendedor
Ver Empresas de Frete


Atenção! O MF Rural não se responsabiliza pela venda deste produto "INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL" que é de responsabilidade exclusiva do anunciante.

O MF Rural não realiza intermediação das vendas e compras, trocas ou qualquer tipo de transação feita pelos usuários deste Site, tratando-se de serviço exclusivamente de disponibilização de mídia para divulgação.

A transação é feita diretamente entre as partes interessadas.

Cabe ao consumidor assegurar-se de que o negócio é idôneo antes de realizar qualquer transação.

Ao negociar com qualquer pessoa ou empresa, sugerimos que não efetue qualquer pagamento através de transferência bancária ou outro tipo de pagamento sem a garantia da entrega do bem que está negociando.



Perguntas

Pergunta:
23/8/2015 15:49:07
Favor entrar em contato. Grato

Pergunta:
10/3/2015 15:56:16
boa trade vc trabalha para o governo
10/3/2015 17:27:57 Boa tarde! Somos um escritório que estruturamos toda a parte burocrática (conforme o anúncio) em parceria com o governo do estado, beneficiando as empresas com o incentivo fiscal conforme estabelecido pelo próprio governo. Exemplo resumido do suporte: Abertura da filial, aluguel da sala ou galpão, apoio jurídico e de contabilidade, abertura do regime especial na sefaz, dentre outros. Estou a disposição. Eduardo Marinho

Pergunta:
27/2/2015 14:24:33
Ola,tenho negocios a tratar com voce,favor entrar em contato para melhor esclarecimento. OBRIGADO
27/2/2015 16:32:34 Tentei te ligar mas não tive sucesso. Estou a disposição! Eduardo marinho

Pergunta:
15/5/2014 7:50:23
Com referência ao seu anúncio, que tipo de distribuidora pode-se abrir para esses incentivos fiscais? Gentileza dar-me maiores iformações a respeito. Obrigada! Rute
19/5/2014 11:25:50 Sr. Carlos Leite esta em São Paulo e irá ligar para maiores esclarecimentos. Att, Eduardo Marinho

Pergunta:
12/5/2014 23:51:40
Favor me informe melhor sobre esse centro de distribuição.
12/5/2014 23:56:48 REDUÇÃO DE CARGA TRIBUTÁRIA OFERECEMOS TODA ESTRUTURA PARA REALIZAR O PROCEDIMENTO DESCRITO A BAIXO: AGENDE UMA VISITA EM SUA EMPRESA PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS EDUARDO H S MARINHO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO I – DEFINIÇÃO DE CENTRAL DE DISTRIBUIÇÃO Considerar-se central de distribuição toda a empresa que concentrar em distribuidor localizado no Estado de alagoas (art. 1º do Decreto 38.631/2000) Todas as aquisições da empresa para distribuição às filiais localizadas em outros Estados Toda a distribuição de mercadoria de produção própria, recebida em transferência de filial localizada neste Estado ou em outros Estados, desde que também destinada a atender outros Estados A distribuição de mercadorias com base em contrato de distribuição exclusiva, desde que a média mensal de saídas das mercadorias sujeitas ao contrato seja superior a 80% (oitenta por cento) do total de suas saídas, de acordo com a média dos últimos 6 meses, ou dos meses em funcionamento no caso de inicio de atividade (art. 4º inciso VI combinado com artigo 1º-A do Decreto nº. 38/631/2000). II – CONDIÇÕES PARA ENQUADRAMENTO Enquadrar-se no conceito de Central de Distribuição com relação às suas operações Estar inscrito no Cadastro de contribuinte do Estado de Alagoas Regular com as obrigações tributárias: principal e acessórias Possuir no estabelecimento, ou em operador logístico, no mínimo 5 (cinco) empregados devidamente registrados no ministério do trabalho. III – A SISTEMÁTICA DESTE DECRETO COMPREENDE Substituição dos créditos normais do imposto relativo às entradas de mercadorias, bens ou recebimento de serviços pelo crédito fiscal presumido do ICMS (percentuais abaixo relacionados), incidente sobre o valor da BASE DE CÁLCULO do ICMS destacado nos documentos fiscais de saída e debitado no livro Registro de Saídas. 11% (onze por cento), nas saídas de mercadorias tributadas à alíquota de 12% (doze por cento) 14% (quatorze por cento), nas saídas de mercadorias tributadas à alíquota de 17% (dezessete por cento) ou 19% (dezenove por cento) 22% (vinte e dois por cento), nas saídas de mercadorias tributadas à alíquota de 25% (vinte e cinco por cento) ou 27% (vinte e sete por cento) Renúncia dos créditos normais do imposto relativo às entradas de mercadorias, bens ou recebimento de serviços Obrigatoriedade de estornar os créditos fiscais relativos às entradas de mercadorias, bens ou recebimento de serviços, inclusive o crédito acumulado, se houver. IV – A SISTEMÁTICA DESTE DECRETO NÃO COMPREENDE a) Que efetue vendas de mercadorias a consumidor final, salvo se usuários industriais, comerciais, prestadores de serviços ou institucionais. Objetiva-se descaracterizar como distribuidor aquele que efetuar venda a pessoa natural, que o qualifica também como varejista b) Cuja média mensal de transferência interna para filiais seja superior a 10% (dez por cento) do total de suas saídas, ou seja, apenas 10% (dez por cento) do total de suas saídas poderá ser de transferência para filial em Alagoas c) Cuja média mensal de saída interna seja superior a 20% (vinte por cento) do total de suas saídas, ou seja, apenas 20% (vinte por cento) de suas saídas deverão ser para Alagoas, obrigatoriamente 80% (oitenta por cento) serão para outros Estados d) Cuja média mensal de vendas internas a uma única empresa varejista seja superior a 10% (dez por cento) do total de suas saídas, ou seja, do total do distribuidor, somente 10% (dez por cento) poderá ser para um mesmo varejista em Alagoas e) Não pode haver utilização do benefício: Para fins de cálculo do imposto devido por substituição tributária, exceto com relação às operações próprias do contribuinte Cumulativamente com outros benefícios que impliquem redução de carga tributária. Caso se observe que o contribuinte não atende essas condições acima, a fiscalização irá caracterizar uma situação que implica em perda do benefício. Observação: Ocorrendo a perda do incentivo por alguma irregularidade, é vedada sua reabilitação a sistemática. V – UTILIZAÇÃO DO BENEFÍCIO DO CRÉDITO PRESUMIDO NA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA O contribuinte poderá utilizar o benefício nas operações próprias desde que suas operações de saídas interestaduais mensais sujeitas à substituição tributária ultrapassem 80% (oitenta por cento) do total das saídas com substituição tributária, lembrando que não considera o benefício do crédito presumido no cálculo da substituição tributária Caso o contribuinte se enquadre nos requisitos do item acima, poderá ser atribuída à condição de substituto tributário para o mesmo, no caso de revenda de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária, desde que solicite Regime Especial. VI – REGIME ESPECIAL / VANTAGENS E COMO PROCEDER O Fornecedor emite a Nota Fiscal de Venda, com destaque do ICMS para o Centro de Distribuição a) Os fornecedores se debitam normalmente do ICMS pela venda de mercadorias b) O Centro de Distribuição (CD) que possui o Regime Especial não poderá usar o crédito do ICMS destacado na Nota Fiscal do fornecedor. O Centro de Distribuição emitirá Nota Fiscal de Transferência ou de Venda, destacando normalmente o ICMS na Nota Fiscal a) a filial que irá receber a transferência de mercadoria ou a empresa compradora de mercadorias devem se creditar do ICMS destacado na Nota Fiscal. O Centro de Distribuição, quando for pagar o ICMS, deverá renunciar aos créditos oriundos das compras junto aos fornecedores e utilizar o Incentivo recebido à razão: Nas saídas de 12% - Crédito Presumido 11% = 1% Nas saídas de 17% ou 19% - Crédito Presumido 14% = 3% ou 5% Nas saídas de 25% ou 27% - Crédito Presumido 22% = 3% ou 5% Obs: Conforme rege o Decreto 38.631/2000 da Sefaz/AL VII – EXEMPLOS PRÁTICOS Exemplo 1: Venda de mercadorias sujeitas ao ICMS normal Uma empresa distribuidora localizada em Maceió adquire mercadorias das filiais de São Paulo, no valor de R$ 15.000,00, já incluídos frete e seguro. Essas mercadorias estão sujeitas ao ICMS normal, e são vendidas para Pernambuco, por R$ 18.000,00. ICMS Destacado na nota fiscal R$ 1.050,00 (deverá haver renúncia à utilização dos créditos normais do imposto, quando da utilização do crédito presumido) ICMS na saída – R$ 2.160,00 (12% das saídas) Crédito presumido – R$ 1.980,00 (11% do valor das saídas) ICMS a recolher na apuração mensal – R$ 2.160,00 – 1.980,00 = R$ 180,00 Exemplo 2: Transferência de mercadorias sujeitas ao ICMS normal Uma empresa distribuidora localizada em Maceió adquire mercadorias da filial de São Paulo, no valor de R$ 15.000,00, já incluídos frete e seguro. Essas mercadorias estão sujeitas ao ICMS normal, e são transferidas para a filial de Pernambuco, pelo mesmo valor. ICMS Destacado na nota fiscal R$ 1.050,00 (deverá haver renúncia dos créditos normais destacados na NF de aquisição) ICMS na saída – R$ 1.800,00 (12% das saídas) Crédito presumido – R$ 1.659,00 (11% do valor da saídas) ICMS a recolher na apuração mensal – R$ 1.800,00 – 1.650,00 = R$ 150,00 Exemplo 3: Venda e mercadorias sujeitas ao ICMS Substituição Tributária Uma empresa distribuidora localizada em Maceió adquire mercadorias do Rio Grande do Sul, no valor de R$ 50.000,00, já incluídos frete e seguro. Essas mercadorias estão sujeitas ao ICMS substituição tributária com margem de agregação de 30%, sendo o imposto retido pela Central de Distribuição tendo em vista a mesma possuir Regime Especial como Substituto Tributário. O preço de venda para Sergipe ficou em R$ 65.000,00. ICMS Destacado na nota fiscal de aquisição: R$ 3.500,00 (deverá haver renúncia dos créditos normais do ICMS destacado na NF) ICMS normal devido pela saída: R$ 7.800,00 (12% das saídas) Crédito presumido: R$ 7.150,00 (11% do valor das saídas) ICMS a recolher na apuração mensal: R$ 7.800,00 – 7.150,00 = R$ 650,00 ICMS Substituição a ser destacado para o Estado de Sergipe: 1 – R$ 50.000,00 + 30% (agregação) = R$ 65.000,00 Base de cálculo da ST. 2 – R$ 65.000,00 x 17% = R$ 11.050,00 ICMS sujeito a alíquota interna. 3 – R$ 11.050,00 – R$ 7.800,00 (crédito da NF de 12%) = R$ 3.250,00 ICMS ST a ser destacado na NF de venda. Lembretes: Não ocorre substituição tributária nas operações que destinem mercadorias a sujeito passivo por substituição da mesma mercadoria. O benefício do crédito presumido não se aplica no cálculo da ST para outro Estado. Neste caso, deverá haver o cálculo da ST normalmente. O benefício do crédito presumido será utilizado apenas na operação própria. OBS. A mercadoria ao sair do fornecedor, não precisará dar entrada fisicamente no Centro de Distribuição em Alagoas, podendo ir direto ao seu destino final (filiais ou clientes para revenda). FORNECEDOR SP RJ RG SUL Outros Estados CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO ALAGOAS FILIAIS EM PE PB RN CE SE BA MG RJ SP RS AGENDE UMA VISITA EM SUA EMPRESA PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS EDUARDO

veja todas as perguntas

Faça também busca por: INCENTIVO INCENTIVO FISCAL INCENTIVO PARA INCENTIVO ABERTURA INCENTIVO CENTRO INCENTIVO DISTRIBUIÇÃO FISCAL FISCAL PARA FISCAL ABERTURA FISCAL CENTRO FISCAL DISTRIBUIÇÃO PARA PARA ABERTURA PARA CENTRO PARA DISTRIBUIÇÃO ABERTURA ABERTURA CENTRO ABERTURA DISTRIBUIÇÃO CENTRO CENTRO DISTRIBUIÇÃO DISTRIBUICAO DISTRIBUICAO DISTRIBUIÇÃO

Outros em MaceióOutros em Alagoas


Esta página contém anúncios de INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL .

O MF Rural é um site de anúncios de compra e venda de produtos agrícolas para todo Brasil, com relação de ofertas de insumos ou produtos agropecuários de interesse do produtor rural. Podem ser encontrados(as) produtos rurais usados ou novos com preços, fotos, vídeos, disponibilidade, cidade, estado de localização, quantidade e outros.

O sistema MF Rural é diferente de sistemas de classificados onde os produtos simplesmente são apresentados com alguns dados e os interessados em comprar ou vender entram em contato para realizar negócio. No MF Rural o sistema é de Mercado Físico, logo, todos os anúncios devem estar com valor de venda e caso um comprador queira negociar a mercadoria, através de nosso portal, ele consegue os dados como nome, telefone, cidade e e-mail do vendedor anunciante. Assim o interessado comprador decide como irá fechar negócio, se vai pagar preço à vista, à prazo, em parcelas, financiado, como vai ser o transporte ou frete, quem vai pagar o valor do frete, se vai levar em transporte próprio, enfim, todos os detalhes de uma negociação normal com revenda, loja ou particular.

Os produtos são separados por categorias, mas também por marca, tamanho, modelo, localização, preço, região, novos ou usados, etc. Criamos também páginas onde as ofertas ficam separadas por estado, ou município do Brasil. Veja em INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL

Muitas pessoas usam o MF Rural para pesquisar preços de INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL e conseguir fazer melhores negócios, adquirindo produtos mais baratos ao alcance de um clique. Essas pessoas procuram normalmente na internet pelos sites de busca onde encontrar, onde achar ofertas de algum produto, e fatalmente acabam caindo no site MF Rural, onde tem um grande número de anúncios bem diversificados. Muitas vezes encontram e conseguem adquirir produtos de qualidade, barato e com bom preço e condições que normalmente não encontrariam no comércio ou mercado local.

Portanto caso você pense algum dia, "quero vender" ou "quero comprar" produtos rurais, acesse sempre o site MF Rural, onde a comercialização ocorre entre os próprios negociantes e onde você pode encontrar muitas informações a respeito de mercado de INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL, assim como algumas notícias ou informativos da agricultura ou pecuária no Brasil. Com pouco trabalho você coloca toda sua produção à disposição de produtores rurais ou pessoas do Agronegócio de todo Brasil.

Na lavoura, no campo, na roça, na fazenda, no sítio, na chácara ou até mesmo em meio à sua plantação ou pastagem você consegue hoje acessar todas as ofertas rurais que estão no site MF Rural, através de um celular ou tablet conectado à Internet. Isso é cada vez mais tendência e o MF Rural coloca tudo isso disponível em seu próprio bolso. Também poderá encontrar Leilões de gado on-line, bovinos, equinos, ovinos, caprinos jumentos, e também Leilão de trator, máquinas e implementos agrícolas.

No MF Rural é muito fácil Comprar e Vender.



INCENTIVO FISCAL PARA ABERTURA DE CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - AL


Atendimento Online MF Rural