Publicidade

 Animais por estado

 Animais por cidade

Animais

Você está vendo Animais em Presidente Olegário

Veja Também:
Notícias Agrícolas

Foram encontrados 0 anúncios de Animais na cidade de Presidente Olegário em Minas Gerais.

Clique no menu ao lado para consultar Animais em outra região.
Minas Gerais
X
Presidente Olegário
X
Anterior
Página 1 de 0
Proxima

Relação de preços de anúncios de vendedores de Animais em Presidente Olegário/MG

Detalhes sobre a cidade de Presidente Olegário

Um rancho para tropeiros que iam e vinham de Paracatu deu origem a uma localidade chamada Brejo Alegre. Em 10 de outubro de 1851, quando foi feita a doação ao patrimônio público da igreja a fim de se erigir uma capela sob a invocação de Santa Rita de Cássia, passou a ser chamado de Santa Rita da Boa Sorte. Em 1867, o povoado foi elevado a distrito de Paracatu. Já em 1888, quando foi incorporado ao município de Santo Antonio dos Patos, hoje Patos de Minas, passou a ser chamado de Santa Rita de Patos.

No ano de 1938, o distrito foi elevado a município, e o nome foi trocado para Presidente Olegário, em homenagem a Olegário Maciel, chefe político da região, falecido durante sua gestão na Presidência do Estado de Minas Gerais.

Além de seu distrito-sede, contava com mais quatro distritos: Galena, Lagamar, Ponte Firme e Lagoa Grande. O distrito de Lagamar emancipou-se politicamente através da Lei 2.764, de 30 de dezembro de 1962. Posteriormente, o Distrito de Lagoa Grande também obteve sua emancipação, através da Lei 10.704, de 27 de abril de 1992.


Cultura

O calendário de eventos da cidade de Presidente Olegário conta com algumas festas, religiosas e profanas. A evento de maior tradição é a Festa de Nossa Senhora da Abadia de Andrequicé, localidade situada cerca de 60 km da sede; esta festa acontece no mês de agosto, e a comemoração propriamente dita tem lugar no dia 15 deste mês. É importante lembrar que a Romaria de Andrequicé (festa irmã da Romaria de Água Suja), tem origens no final do século XIX, quando da doação do terreno e início das celebrações e peregrinações em homenagem à Nossa Senhora da Abadia. Nos dias hodiernos, a romaria conta com a presença de romeiros de diferentes partes do Estado de Minas Gerais e de filhos da terra residentes em outros estados e distritos, como Goiás e Brasília e, durante sua realização, tem co-participação na organização e infra-estrutura das prefeituras e Presidente Olegário, João Pinheiro, São Gonçalo do Abaeté e Varjão de Minas e de suas respectivas paróquias ou diocéses. Ainda no âmbito das festas religiosas, durante o mês de janeiro o município conta com uma gama de Folias de Reis, realizadas em diferentes localidades rurais e no distrito sede. Em janeiro acontece também a Festa em Louvor a São Sebastião, que tem lugar na localidade de Pissarrão. Até bem pouco tempo, contávamos ainda com a Congada em Louvor a Nossa Senhora do Rosário, festa bonita e interessante por sua natureza e constituição mas que, por motivos outros, deixou de acontecer nesta cidade gloriosa e triste pelo esquecimento de algumas tradições. Outra tradição que malgradamente caiu no ocaso foi a bela Contradança dos Godinhos, folguedo iniciado em princípios do século XX pela família que dá nome à dança e que transita entre o sagrado e o profano, constituindo um joguete em que homens constituem pares nos quais a outra parte é um homem vestido de mulher (talvez em protesto ao arraigado patriarcalismo católico cristão do estado das Gerais), dançando ao som de uma sanfona 4 baixos e um violão e ciceroneados por um palhaço. É interessante notar que a profanação está justamente no vestir-se de mulher e questionar os tabus estabelecidos pelos costumes civeis e religiosos e a sagração, ou seja, a manteneção do sagrado nos símbolos sagrados do catolicismo estampados nas vestimentas dos participantes. A tradição, infelizmente, vem se perdendo, em parte por falta de investimentos de recursos públicos, através das secretarias de cultura, em parte pelo crescente afastamento as gerações hodiernas em manifestações culturais tradicionais, de forma que há apenas uma pessoa que ainda detém parte do conhecimento desta Contradança. Outra interessante Festa, que vem perdendo, infelizmente, suas forças ao longo dos anos, é a Festa da Produção, durante a qual o município, através da Prefeitura Municipal e do Sindicado dos Produtores Rurais, expõe, discute e negocia os produtos agropecuários da cidade, além de promover shows musicais no parque de exposições e atrações culturais em diferentes pontos da cidade. Infelizmente, como fora dito, esta festa também tem perdido suas forças, mas nada que não possa ser resolvido com força de vontade e investimentos efetivos nos setores de educação e cultura, principalmente.

Mais detalhes sobre Presidente Olegário

Consulte abaixo as categorias de produtos agrícolas divididas por estado