Cabeçote Florestal na cidade de Sete Lagoas em Minas Gerais

Foram encontrados 1 anúncios de Cabeçote Florestal na cidade de Sete Lagoas em Minas Gerais.

Clique no menu ao lado para consultar Cabeçote Florestal em outra região.
Minas Gerais
X
Sete Lagoas
X

Prensas hidráulicas fabricação e reforma.

A 7 soldas industrial atua na fabricação e reforma de equipamentos industriais e florestais como garras,cabeçote de descascadeiras de eucalipto ,presas para varios segmentos seja e...

Preço: R$ 10.000,00

Sete Lagoas/MG
Anterior
Página 1 de 1
Proxima

Relação de preços de anúncios de vendedores de Cabeçote Florestal em Sete Lagoas/MG

Detalhes sobre a cidade de Sete Lagoas

Quando da Febre do ouro, bandeirantes desbravavam o sertão. Por volta de 1667 chegam os primeiros europeus às terras da atual cidade, componentes da bandeira comandada por Fernão Dias, que se tornou o Governador das Esmeraldas. Dez anos depois, fernão já em idade avançada para a época, no auge de seus 60 anos, ainda queria descobrir esmeraldas para o Rei de Portugal. No trajeto de São Paulo até o Grão Mogol, instala-se nos arredores esperando encontrar alguma novidade de grande utilidade. Encontrou então, em um serrote das Sete Lagoas, um minério argentífero. Há indícios de que o serrote citado por alguns historiadores possa ser a Lapa do Chumbo, da Fazenda das Melancias e que foi pesquisada por vários mineralogistas da época, até mesmo pelo Dr. Teófilo Otoni, nome estreitamente ligado aos fatos que marcaram a vida desta comunidade nos primeiros lustros deste século.

Fernão Dias truxe consigo dois filhos: Garcia Paes que era filho legítimo e José Dias, seu filho natural e criado por si. Este, já cansado de tentar colocar o pai de volta ao seu objetivo inicial, revoltou-se e chefiou uma rebelião. Com a conspiração descoberta, Fernão Dias fez a sentença de que o chefe da rebelião teria que pagar com sua própria vida por seu ato corajoso. José Dias então foi enforcado à vista dos seus companheiros de expedição, que também foram expulsos da bandeira que tentaram prejudicar. Sem lugar, estes expedicionários deixaram o acampamento e vieram acampar às margens do Ribeirão Matadouro, na planície Setelagoana. A várzea do joão Corrêa foi o ponto em que a cidade começou, atualmente conhecido como Bairro da Várzea, o início da grande cidade.

Em 1681, é terminada a bandeira de D. Rodrigo de Castelo Branco, que foi assassinado em Sabará. O local hoje chamado de "Fidalgo", faz parte do município de Pedro Leopoldo e é parte dos componentes desta expedição. Composta de sertanistas e nativos, toma rumo às Sete Lagoas, alojando-se no povoado que nascia. Tribos nômades e pacíficas percorriam a região e sua interação com os novos moradores ocorreu com êxito e naturalidade. As uniões com índias tornou-se comun e fruto dessa união surgia novas famílias que se proloferavam com grande rapidez e respeito.

Em 1700, João Leite da Silva Ortiz, um típico representante da raça do sertanista paulista, filho e Estevão Raposo Bocarro com D. Maria de Abreu Pedroso Leme, sobrinha de Fernão Dias e tataraneta de Brás Cubas, veio para Minas. Os paulistas no século XVIII eram caracterizados pela instabilidade. Não permaneciam em um lugar apenas, estavam sempre à procura de novas e melhores faisquerias, aventuravam-se na procura de novos sertões. Caso típico de Jõao Leite da Silva Ortiz. Em Janeiro de 1711, conquistou a Sesmaria do Cercado. Em 8 de Fevereiro do mesmo ano, conquistou a de Sete Lagoas. Porém João Leite ficou durante poucos anos na posse de sua sesmaria das Sete Lagoas; deixou suas duas conquistas e voltou a São Paulo para organizar sua expedição a Goiás. A Sesmaria de Sete Lagoas foi concedida a Antônio Pinto de Magalhães.

Em 1820 começa o povoamento, quando foi construída a capela de Santo Antônio das Sete Lagoas, existente até os dias atuais e rodeada pela nova, grande e próspera cidade.

O distrito de Sete Lagoas deve sua criação à Lei provincial n.° 211, de 7 de abril de 1841. Em 24 de novembro de 1867, a Lei provincial n.° 1.395 criou o município, com território desmembrado do de Santa Luzia do Rio das Velhas, posteriormente Santa Luzia, ou ainda deste e dos de Sabará e Curvelo. Verificou-se a instalação a 27 de novembro de 1871.


Subdivisão
Microlocalização

A área de influência de Sete Lagoas, com mais de 500 mil habitantes, abrange cerca de 38 municípios das diversas microrregiões da mesorregião Metalúrgica. A microrregião Calcários de Sete Lagoas é formada pelos municípios de Araçaí, Baldim, Cachoeira da Prata, Caetanópolis, Cordisburgo, Fortuna de Minas, Funilândia, Inhaúma, Jaboticatubas, Jequitibá, Maravilhas, Papagaios, Paraopeba, Pequi, Santana de Pirapama, Santana do Riacho.

Mais detalhes sobre Sete Lagoas

Consulte abaixo as categorias de produtos agrícolas divididas por estado